segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O protótipo que não deu certo

Depois de algum tempo afastado, volto para concluir o ano e deixar um recado subliminar.

O tempo passa, os segundos, minutos, horas, enfim os anos passam...
As pessoas passam... Carros, Ônibus, trens e metros, passam...
O que seria de nós sem a efemeridade? O quer seria de nós sem esse fim? Um fim dramático ou representativo em um todo.
O que seriamos sem o desejo que nos move, que nos arrasta as vezes por vias tortuosas alcançando cantos lúgubres da nossa mente.
Deixe-me ser levado pelo vento feroz ou pelas ondas de um mar incansável.
Deixe-me tentar poetizar, dramatizar o sentimento que eu sinto e me corroi...
O que eu sinto é verdade ou é uma forma lúdica de querer viver e passar por essas emoções as vezes tão inóspitas?
Quero me afundar, na lama ou na cama...
Quero ter a certeza de que realmente não preciso de vocês.... E mesmo que precisasse, vocês não estariam aqui quando eu quisesse...
Por isso então quero me embebedar tanto ao ponto de ter a certeza de que não sei mais o que eu quero ou quem eu sou...
A recíproca que faz mim um reles protótipo que não deu certo, que não vingou é persuasiva. Não me queriam mal aqueles de mente sã, que não vêem a verdade refletida diante dos próprios olhos famintos e sedentos.
Sedentos de algo maior, de uma inspiração conturbada e mortífera.
Eu sei da minha verdade... Só a mim a cabe essa resolução... As vezes tento disseminar o que sinto, mesmo sendo difícil pra mim...
Já foi uma questão apenas de ser bom... Mas isso eu já não sou mais também... A bondade é irônica e meticulosamente desenvolvida.
A inocência foi perdida, o encanto foi quebrado, apenas o que me resta são cacos. E o que eu vejo refletido me faz sofrer, ou as vezes sorrir e me encher de amigos em fotos.
Depois me vejo sem sorrisos e sem amigos figurantes...

Vocês acreditam mesmo nas fotos, sempre acreditam nos sorrisos e nas pessoas, até em palavras soltas no ar... Eu já não acredito mais, em nenhum deles... E isso me fez assim.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

O amigo invisível



Sabe quando bate uma carência? Daquelas que não é um beijo ou um toque poderia resolver. Uma carência ou uma sensação de abandono. O medo de perceber que as pessoas a sua volta não são como você imaginava, ou queria, que elas fossem. Cansei de buscar extremos, um grande amor, um grande amigo, uma grande feito... Tudo vem pela metade, sempre falta um pouco mais. Seja dessa falta o companheirismo, a cumplicidade, o carinho, a força de vontade.

Odeio desistir dos meus sonhos... odeio ver minhas fantasias, as minha estrelas escolhidas a dedo se explodirem em uma supernova e restar apenas irrelevantes buracos negros.

“Quero acordar para tempo e para o tempo nascer.” Ou seria tarde pra nascer? Minha busca desesperada por concretizações me faz perder o tempo, perder a linha, perder o senso do certo e do errado. Cansei de errar, de sofrer, de tomar atitudes por impulso e depois quebrar a cara ou ter a cara quebrada. Nada poderia ser pior que isto, exceto sentir dó de mim mesmo, não aceito. Quando fico triste, com vontade de chorar e desabafar tudo com alguém, que eu nem sei quem, eu paro e penso quantas pessoas por ai não estão em uma situação muito pior que a minha e estão vivendo, ai me vejo um idiota e pronto, esqueço. É a melhor maneira de apagar, ou pelo menos ocultar essas tristezas.


"Quem tem um amigo, mesmo que um só, não importa onde se encontre, jamais sofrerá de solidão; poderá morrer de saudades, mas não estará só." Amir Klink

Algumas fatos recentes me fizeram pensar muito no assunto e ver que quanto mais pessoas a minha volta, mais sozinho eu me sinto. Ninguém está aqui, são apenas corpos.Um amigo não se compra, mas acho que pagaria caro pra ter um de verdade...


Pra finalizar quero mandar um abraço grande em especial pro meu amigo invisível que ta sempre do meu lado pro que der e vier. Pode ser besteira, mas nele eu realmente sei que posso confiar.

Para todos os outros que por aqui passam também um grande abraço.


Namastê

terça-feira, 7 de julho de 2009

Selo: O teu Blog merece ser filmado

Oi galera
Antes de tudo, venho aqui, agradecer ao Murilo do http://forsakenboy.blogspot.com/ pela indicação do meu blog ao Selo "O teu blog merece ser filmado!". Quero então dedicar, a todos vcs que curtem e acompanham meu blog. Obrigado a todos!! =D



Regras do selo.

I - Escolher cinco situações da vida para passar em câmera lenta;
II - Escolher 12 blogs para o desafio e avisá-los.


Cinco momentos de minha vida para serem vistos em câmera lenta:

1 - Em 2006 quando minha equipe da gincana do CEFET, onde eu estudava ganhou. Tenho mt honra disso, pois formei uma equipe de última hora, chamando pessoa por pessoa. E ninguém dava nada por essa equipe. Mas fomos lá, vencemos e humilhamos os adversários. Fiquei mt feliz e surpreso, mais pela superação do que tudo. Nosso prêmio foi um PC, que vendemos mais tarde.

2 - Quando eu fiquei sabendo que passei no vestibular. Fiquei sabendo por uma ligação de uma ex, uma pessoa mt especial pra mim, me deu os parabéns e eu fiquei sem saber pelo que. Quando me contou eu nem acreditava, ainda mais que eu não botava fé em passar. Depois contei pros meus pais que ficaram muito felizes assim como o resto da família.

3 - Queria ver toda minha vida em flashes, os momentos mais importantes. Acredito que quando morremos deve ser assim, como em Efeito Borboleta, ver cada um desses momentos especiais passar diante de nós. Seria incrível.

4 - Minha primeira vez. Não foi a melhor, mas será sempre inesquecível, seria ótimo ver isso em câmera lenta, realmente mágico, pois com amor tudo fica mais gostoso.

5 - Queria rever momentos bons com amigos e pessoas que não tenho mais uma convivência, pessoas que ficaram no tempo, as vezes por algo feito, ou mesmo por intermédio do destino. Rever essas lembranças em câmera lenta seria particularmente especial.


Abaixo segue minhas indicações ao selo:

1 - Man In The Box;
2 -
Suicide Virgin;
3 -
Memórias de uma vida puta;
4 - She's Leaving Home
5 - Butterfly Girl
6 - More Than Words , It's LIFE !
7 - Joana Oliveira
8 - Pão com ovo baixa todos ps2
9 -
Calcinhas Também Matam!
10- Sombras do Passado
11- O Drama Do dia seguinte
12- Conversas Cartomanticas

E vocês, caros leitores, quais momentos importantes de sua vida você gostaria de rever em câmera lenta??
Por aqui fico!

Namastê

terça-feira, 23 de junho de 2009

Vida

"Já perdoei erros quase imperdoáveis,
tentei substituir pessoas insubstituíveis
e esquecer pessoas inesquecíveis.

Já fiz coisas por impulso,
já me decepcionei com pessoas
que eu nunca pensei que iriam me decepcionar,
mas também já decepcionei alguém.

Já abracei pra proteger,
já dei risada quando não podia,
fiz amigos eternos,
e amigos que eu nunca mais vi.

Amei e fui amado,
mas também já fui rejeitado,
fui amado e não amei.

Já gritei e pulei de tanta felicidade,
já vivi de amor e fiz juras eternas,
e quebrei a cara muitas vezes!

Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
já liguei só para escutar uma voz,
me apaixonei por um sorriso,
já pensei que fosse morrer de tanta saudade
e tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo).

Mas vivi!
E ainda vivo!
Não passo pela vida.
E você também não deveria passar!

Viva!!

Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida com paixão,
perder com classe
e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é "muito" para ser insignificante."

Augusto Branco



Não tenho mt a comentar... esse poema descreve tão bem passos que já dei, que acho q ele foi feito exatamente com essa intenção, fazer com que quem leia se veja nele, com esses sentimentos tão iguais e ao mesmo tempo diferentes e únicos para cada um.

Namastê

domingo, 14 de junho de 2009

Verde esperança

Quanto tempo não apareço por aqui para postar algo. Mas decidi que não posso perder esse meu espaço que eu tanto gosto e que funciona de refúgio para mim nas piores e também nas melhores horas, horas aquela que você sente necessidade de gritar bem alto pelos quatro cantos, sua felicidade ou sua tristeza. Então aqui estou com mais um post, e prometendo manter este, sempre atualizado, principalmente se vocês que gostam de ler o que eu escrevo me apoiarem e se fazerem presente. =D

Como eu disse, sempre sou incentivado a escrever, por algum bum de emoções. Ai, vocês devem estar se perguntando - Qual é a parada dessa vez? - Então... Tipo.... Nem sei ao certo, mas acho que estou com esperança de algo dar certo. Algo que seria tão bom se fosse verdade. E vou dar a cara a tapa dessa vez, vou sem medo, preciso disso para mim. Preciso voltar a me sentir confortado, seguro e com algo de certo na vida.
Não quero pensar dessa vez que estou me precipitando. Estou de boa, curtindo a Vibe haha. Estou realmente de Borest (fazendo uma figa com os dedos na verdade hehe). Então me lembrei das Fábulos de Esopo que eu lia quando pequeno e nunca entendia a mensagem da fábula. Então criei a minha...

"Hoje resolvi dar uma olhada no aquário onde viviam os antigos peixes. Percebi que estava sujo e também trincado devido a forte pancada do último peixe, já falecido e interrado (já não era sem tempo, ele não era um bom peixinho) mas também tinha o outro peixe que entendia de peixes e de outros seres, esse peixe era selvagem, eu não saberia cuidar dele, esse dai desceu pela pia quando fui trocar a água. Agora, o que acabo achando? Um peixinho dourado, ele tava na lagoa, lagoa essa muito suja com peixes e outros seres das piores qualidades. Engraçado achar um peixe dourado de raça em uma lágoa, mas foi assim, e acabei pegando ele e jogando ele no tal aquário. O peixinho pareceu tão feliz. Também me senti feliz, estava com saudade de ter uma companhia, mesmo que fosse um peixinho dourado. Agora ele está nadando em águas limpas e calmas (por enquanto), e eu espero saber o que tudo isso quer dizer em breve... "

Ficou confuso? Não entendeu nada? Puff... Na verdade nem eu... Acho que foi o Halls de Melancia com fanta que me deu uma viagem estranha...


Em suma, estou feliz. Verde de esperança. Caso tudo de certo em breve estarei aqui relatando para quem se interessar. Agora só posso dizer que, tudo acontece no tempo certo. Dê tempo ao tempo, não se precipite, o que é seu está guardado (pode ser algo bom ou ruim) mas que virá, pode ter certeza que virá.

Namastê

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Ah nem viu...
Quando eu penso que vai dar tudo certo, as coisas ocorrendo perfeitamente bem, como se fossem ensaiadas nos mínimos detalhes. Vem à desilusão, e em questão de poucos dias o céu, meu paraíso perfeito acaba caindo por terra. Ah, eu sei que as vezes me precipito, mas é tão raro, que as vezes me permito isso. Mas nunca da certo, fato!
Comolidar?? Não sei mesmo, queria continuar com a sensação boa que eu estava há alguns dias atrás, acho que o narguilé me fez ver tudo mais bonito. Até acreditei em coisas que não existem, coisas do tipo que a maioria das pessoas acreditam, mas não sabem de verdade como é...
Ah, ta bom. Não era esse o efeito certo, na verdade não era para ter causado nenhum efeito. As vezes foi na verdade, o vinho misturado com outras coisas. Sempre ele. Dessa vez acho que o gosto era eucalipto, mas não vou me focar nisso. O tato era bom também, muito. Aff... Esqueçamos.

Por isso me considero corajoso, as vezes é mesmo bom fugir da rotina, esquecer problemas e fantasiar a vida como um roteiro de filme, planejar com cautela o elenco, a trilha e as locações. Ser feliz é uma questão de gosto, de vontade, tem gente que realmente não gosta, principalmente da felicidade alheia... Acho que há muita intransigência em uma parcela das pessoas ao ver alguém exaltando sua felicidade e seu amor ao céu, ao ar e aos seres meridionalmente místicos.

Então digo, antes uma mente audaciosa e fervilhante do que um coração mole e trepidante; isso não é para mim. Espero dizer sempre “nunca será”, mas como nunca nem sempre é nunca, vou deixar os sabores, os cheiros e as sinestesias tomarem conta de mim por algumas horas e talvez até por um ou dois dias, depois disso, passo a bola.

Então saberei a hora certa de pular fora do barco, posso até morrer na praia, mas eu sei o momento certo, fazendo com que meu orgulho não me deixe admitir que estou a ponto de quebrar a cara. Mas acho difícil viu, cara de pau é muito difícil de se quebrar. Então vou saindo à francesa, pois ando desconfiado que leitores do blog estão conspirando contra mim. E acha que eu ligo? Deixa de bobabem seu careta. Isso é só para loucos, caretas não.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Sensações Efémeras?

É estanho como coisas simples se tornam marcantes quando temos saudade...

É um vazio, algo que não pode ser explicado, mas que atiça sensações quando menos esperamos.

O gosto de um beijo sabor uva verde... E também do “cherry chapstick”, e como lembro desse sabor. Ou aquele perfume, que insiste em ser usado por outras pessoas e me fazer respirar fundo ao sentir. E sem esquecer das músicas que compunham a trilha sonora, músicas oferecidas, músicas que falam de um momento de felicidade ou tristeza. Bem... Foram tantas, são tantas.

“Talvez pudéssemos fazer isso dar certo

Poderíamos fazer isso melhor alguma vez

Talvez pudéssemos fazer isso acontecer baby

Poderíamos continuar tentando

Mas as coisas nunca mudarão”

Ou me lembro de um bilhete mal escrito, citando um trecho de uma música:

“Me desgrace

Me odeie

Só não esqueça

Que eu amei você

Me difame, me odeie

Só não esqueça

Que eu amei você”

Eu pego as cartas antigas, eu leio, eu releio, e que com o passar do tempo insistem em desbotar e perder o seu perfume.

Assim como uma flor de plástico que ainda pode estar guardada em uma gaveta... Flor de carnaval. Flor achada, flor dada e talvez ainda guardada. Acho que é mesmo verdade quando dizem que “As flores de plástico não morrem”.

As vezes ainda fecho os olhos e lembro daquele rosto. Do sorriso tímido e dos olhos brilhantes e sonhadores, muitas vezes molhados. As vezes penso que a felicidade até existe.... Já me perguntaram qual o meu medo... Acho que tenho medo de me apaixonar.

For End

sábado, 4 de abril de 2009

Press START to Play

Lá vamos nós de novo.
Sabe qual é meu combustível pra escrever aqui?? Raiva e tristeza.... Não sei pq a felicidade não me estimula a escrever, mas quanto eu to puto de raiva me vêm uma aflição pra explodir em cima de alguém, então eu venho e desconto no meu teclado. O texto sai rápido, e quase sem nenhum erro de digitação. Acho q nessas horas de emoções intensas é onde as maiores e mais sinceras verdades são ditas.
Queria mandar o mundo se fuder, quem nunca quis fazer isto?!!? Ahh cansei de ser bonzinho, sinceramente, tipo, as pessoas esperam muito de nós, elas sempre esperam, e elas são dissimuladas por esperarem algo que não vai chegar, algo que não tem mais saída. Sabe, é como se fosse aquele tempo que geralmente rola em um relacionamento, muitas vezes isso só serve pra adiar um fim que ambos já sabem que virá. Isto é pra mim é hipocrisia ou então pode ser também inocência ( haha nunca será)
Inocência... existe isso ainda? de onde ela vem, onde ela fica, quando acaba?

Somos jogadores da vida real, nossas armas são a sedução, a mentira, a aparência, as conveniências, a disimulação, os elogios, a troca de favores. É um verdadeiro Big Brother da vida real. Antes poderíamos dizer que o programa imitava a vida, mas então isso só leva a crer que na verdade a vida é exatamente aquilo, exatamente um jogo de aparências, onde o mais bobo ou o mais "na dele" ganha, o mais esperto geralmente não tem vez nesse jogo. Então que vençam os "inocentes".
Pronto falei...
To melhor agora hahaha
beeijos

segunda-feira, 9 de março de 2009

Um dia descobrimos

Aqui estou eu de volta. Muitoo tempo depois, mas não podia deixar pra trás esse cantinho. Muitas vezes comecei a escrever coisas para postar, muitas vezes com o texto pronto com as imagens e tudo, eu desistia de postar. Não achava que estava bom, e me sentia idiota dizendo certas coisas. Mas agora nem ligo, to escrevendo qualquer merda que me venha na cabeça.
To meio que precisando desabafar, nem sei com quem fazer isso, mas então eu escrevo, escrevo, apago algumas partes que só interessam a mim e continuo a escrever. É as vezes monótono, mas quem nunca passou por isso?
Estou em uma fase nova da minha vida, entrei na universidade, desfiz qualquer resquício de relacionamentos anteriores (ou quase), to conhecendo gente nova e tenho certeza que nenhum deles se tornará um amigo de verdade ou então uma grande amor, mas eu finjo que tento. Ok. No começo é tudoo lindoo, tudoo as mil maravilhas, e eu continuo fingindo que acredito. Não pense que sou dissimulado, mas essa é a única maneira disso me descer, não consigo mais ver sempre as mesmas coisas acontecerem, não consigo mais dar tantos créditos para as pessoas e ver tudo caindo pelo ralo depois.
Queria tanto eu poder sumir por alguns instantes... Ou então queria que tanta gente sumisse para que no meu mais intimo egoísmo isso me satisfizesse.

Me despeço já brevemente, com um texto do Mário Quintana que diz muito do que estou sentindo e cabe também para muita gente, pois é um texto que trata das mais puras realidades de nossas vidas:


"...Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra, é bobagem.
Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela...
Um dia nós percebemos que as mulheres têm instinto "caçador" e fazem qualquer homem sofrer ...
Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável...
Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples...
Um dia percebemos que o comum não nos atrai...
Um dia saberemos que ser classificado como "bonzinho" não é bom...
Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você...
Um dia saberemos a importância da frase: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas..."
Um dia percebemos que somos muito importante para alguém, mas não damos valor a isso...
Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas ai já é tarde demais...
Enfim...
Um dia descobrimos que apesar de viver quase um século esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos, para beijarmos todas as bocas que nos atraem, para dizer o que tem de ser dito...
O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutamos para realizar todas as nossas loucuras...
Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação."

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Selo "Olha que Blog Maneiro"

E aê galera!! Estou de volta postando, estava um pouco de férias aqui do blog. Mas agora estou de volta e com a bola toda, e de cara trago um ótima notícia. O Blog Bacterium Crazy me premiou com o Selo "Olha que Blog Maneiro". Quero agradecer e dedicar a todos que curtem este meu espaço. Valeu.


[maneiro.JPG]


E aê estão as as regras para ganhar uma caricatura:

  1. Exiba a imagem do selo “Olha Que Blog Maneiro” Que vc acabou de ganhar!!!
  2. Poste o link do blog que te indicou.(muito importante!!!) http://bacteriumcrazy.blogspot.com/
  3. Indique 10 blogs de sua preferência;
  4. Avise seus indicados;
  5. Publique as regras;
  6. Confira se os blogs indicados repassaram o selo e as regras.
  7. Envie sua foto ou de um(a) amigo(a) para olhaquemaneiro@gmail.com juntamente com os 10 links dos blogs indicados para verificação. Caso os blogs tenham repassado o selo e as regras corretamente, dentro de alguns dias você receberá 1 caricatura em P&B !


Meus indicados:

  1. http://memoriasdeumavidaputa.blogspot.com/
  2. http://calcinhastambemmatam.blogspot.com/
  3. http://julianogreenwood.blogspot.com/
  4. http://forsakenboy.blogspot.com/
  5. http://ranydornelas.blogspot.com/
  6. http://routineofaman.blogspot.com/
  7. http://joanamaster.blogspot.com/
  8. http://insanasanidade.blogspot.com/
  9. http://ronop.blogspot.com/
  10. http://misskidha.blogspot.com/

E aguardem novos posts! =D

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

O tabu que pode matar

Igreja Católica X Camisinha


Puta merda!! Só essa palavra mesmo para expressar minha indignação ao ver um artigo de um blog que eu estava a visitar! Nele a garota, cristã fervorosa, incentiva os jovens a NÃO usarem Camisinha, dizendo que isso é coisa do Demônio para nos corromper: “Não use camisinha, não compre essa idéia diabólica, mas prefira seguir a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor. “.

Primeiro, o que essa garota quer fazer? Revolução? Fazer com que os jovens, ou melhor, as pessoas em geral, parem de fazer sexo antes do casamento? Haha muito cômico não é? Mas pior que isso é algo realmente imposto pela religião católica, que não aceita o uso de camisinhas e nenhum metro contraceptivo. É uma idiotice sem tamanho, ninguém vai parar de fazer sexo e o pior que podem sim parar de usar esses métodos preventivos por influência religiosa, e aí o que teremos? Epidemia de doenças sexualmente transmissíveis e gravidez indesejadas. E a igreja ficará feliz né? Pois foi assim que Deus quis.

A garota do blog ainda tem coragem de dizer que “Pior do que uma gestação precoce, ou contrair uma doença sexualmente transmissível, é a irresponsabilidade de desconsiderar Aquele que nos comprou por alto preço, pecando contra Ele, usando da liberdade para dar ocasião à carne.”

Aquele que ela diz, está preocupado é com o nosso bem. Nossa Deus não pode ser um deus tão perverso que nós castiga por fazermos algo que ele colocou nos nossos instintos.

Ahhhh, eu confesso, odeiooo fanatismo religioso! Quem construiu a Igreja do jeito que ela é hoje, são humanos como nós, pecadores, mortais, seres que não são os donos da razão. A igreja em toda sua trajetória de história, tem tantos pecados como todos nós, mataram das piores formas possíveis, torturam milhões, fizeram complôs, estratégias, roubos, guerras e tudo isso em nome de Deus e nosso Senhor Jesus Cristo, coitado deles para merecerem isso.


Então por que alguém se julga agora no direito de nós criticar por nossos atos? E logo num ato tão humano e divino ao mesmo tempo, uma expressão de dois corpos que se fundem num balé incrível onde chega a ser impossível saber quem é quem, onde todos os sentidos são alterados, onde se perde a noção do tempo e do espaço celebrando o mais incrível momento de criação humana.

Isso é sexo, isso é amor. Enjoy! E usem camisinha, por favor!!

Para quem quiser conhecer o artigo da minha revolta, aí está o site:

http://dayata.multiply.com/journal/item/48

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Morte aos homens de bem


 (para dar um clima, ouça essa música abaixo enquanto lê).

Damien Rice & Lisa Hannigan - Cold Water


 Imagino como seria minha morte...  Eu penso sim, tem gente que tem medo e evita falar nisso, mas eu tenho dúvidas impossíveis de serem respondidas. Alguém chorará por mim? “Você” iria chorar? Eu iria fazer falta? O fato de eu não existir iria alterar em algo a vida de alguém? Perguntas bobas, meio narcisistas não é?

 Eu acho que vou morrer jovem, sei lá, tenho essa impressão, meu desapego a vida é tão grande. Não que eu queira morrer, mas é algo que sinto que é como se eu estivesse aqui com a passagem de volta já comprada e confirmada. Só tenho medo de morrer de uma forma dolorosa... E também queria antes de morrer fazer algo de bom pra alguém, queria ser importante mesmo que com apenas um pequeno gesto de generosidade, e acho que esse é o único motivo para eu ainda estar aqui; queria ser lembrado. Queria que as pessoas sentissem minha falta, para muitas delas darem valor ao que não mais iriam ter. 

 "A morte é certa, não sei porque as pessoas à temem tanto. Deve ser por medo de abandonarem tudo o que construíram até hoje ou o que está para ser construído."

 Quando leio uma reportagem de um jovem que morreu é tão triste, imagino o quanto seus pais se esforçaram para dar uma educação, fazer aquele mulekinho se tornar um jovem pronto para viver a vida e descobrir os maiores prazeres que o mundo tem à oferecer. Ai no fim das contas o destino cumpre seu pequeno trajeto da forma mais lastimável possível.

 Não sou muito emotivo, como algumas pessoas mais próximas sabem. Acho que por ser de escorpião não dou a entender as minhas emoções, mas confesso que algumas coisas me tocam. Uma delas são questões de morte. E descobri a comunidade “Profile de Gente Morta” ou simplesmente “PGM”, onde lá é relatado com uma incrível freqüência, casos de pessoas que cumpriram sua passagem pela Terra, informando aos mais curiosos a forma da morte, dia e a notícia vinculada em algum site, caso exista, e principalmente o link do profile do orkut desta pessoa. Lá é possível conhecer um pouco da personalidade, sonhos, ambições e mensagens de condolências dos familiares e amigos. É impossível não acabar se comovendo com aquele desconhecido, que você  possivelmente nunca iria conhecer. Os profiles acabam se tornando lembranças perpétuas, e uma forma dos amigos mandarem uma mensagem de saudade, partindo do princípio que não há um mecanismo do site Orkut que delete esses profiles inoperantes onde apenas o dono possuía sua senha.

 Se emocionar com um desconhecido é algo no mínimo passageiro, de momento, que não causa a dor de uma perda própria. Acho que ninguém deveria sentir essa dor, e só quem já perdeu alguém para saber como é. Eu desde pequeno nunca gostei de velórios e enterros, e nunca tinha sofrido a perda de alguém próximo. Mas a lembrança que tenho de um, foi o momento em que mais chorei em toda minha vida, via as pessoas ao meu redor também chorando, não me importava de estar chorando na frente de dezenas de desconhecidos — coisa que eu no meu estado normal nunca faria — eu chorava pela perda e também pela falta que ela iria fazer para todos.

Acho que em alguns aspectos me tornei frio, não sei se pelas pancadas e decepções (veja no link o que escrevi) que levei da vida, e acabei construindo uma redoma de vidro ao meu redor, é verdade que eu deveria ter usado um material mais resistente, mas isso faz com eu não seja tão invulnerável e  que eu tenha emoções e sentimentos, como qualquer um pois, não sou uma máquina.

 Agora, será mesmo que quando morremos nossa vida passa toda diante de nossos olhos em flashs? Tenho medo do que posso ver. Espero que façam uma seleção dos meus melhores momentos e que o editor seja bem camarada comigo rsrs.

 A todos apenas me despeço, e lembrem-se que para morrer só basta estar vivo, então deixo um verso de uma música da Pitty que cai bem neste contexto.

 

“Não deixe nada pra depois
Não deixe o tempo passar
Não deixe nada
Pra semana que vem
Porque semana que vem
Pode nem chegar

Esse pode ser o último dia
De nossas vidas
Última chance de fazer
Tudo ter valido a pena


Caso seja apropriado, nós vemos em outro vida. Bye

Ah prometo que meu próximo post não será tão depressivo quanto esses dois últimos. xD

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Ao passado já apagado

 É meio triste recordar de pessoas do passado né? Sejam amigos, amores ou pessoas que não estão mais entre nós. Essas pessoas fazem falta. E tipo, você para e fica imaginando como seria sua vida se você estivesse hoje com essa pessoa, se você seria mais feliz, se você iria ouvir sininhos tocando, se você realmente gostava dessa pessoa e ela de você.
 As pessoas passam assim pela nossas vidas e deixam algumas marcas, um alguém que você já foi tão cúmplice, que você trocou juras de amor ou promessas de amizade para sempre, que se divertiu tanto, dançou, bebeu, viajou, chorou nos momentos triste, que em resumo foi feliz e que você quis o melhor aí de uma hora pra outra acaba tudo isso, terminar todo um sentimento de meses ou anos construídos, e fim.
  
 Com relacionamentos anteriores aprendi a gostar, aprendi que relacionamentos se constroem baseados em confiança, lealdade e amizade, aprendi que por mais certo que você esteja você nunca vai estar totalmente certo na hora da briga e principalmente depois que vocês não estiverem mais juntos. Aprendi que o brilho de um olhar pode expressar mil palavras. E aprendi a abrir mão por necessidade de coisas que eu gostava.
 Nunca fui de muitos relacionamentos, mas os poucos que tive foram intensos e dramáticos, e deixaram muitos espinhos. As vezes acabo me esbarrando em um desses espinhos, e isso dói de verdade.
 Você não tem saudade de uma pessoa que você já gostou e que gostou de você? Hoje em dia você pode até tentar jurar pra os outros que não liga, ou que talvez até se quer gostou, mas no fundo, nem precisa ser tão fundo, lá no seu coração você sabe o quanto gostou, amou e quis ficar junto pelo tempo que fosse.
  
Dedico a quem já amou ou sabe o que é amar, já teve um grande amigo e hoje não mais, ou sente saudade de todos esses momentos já vividos. Eu não sei se o que eu já senti foi amor, ou o que sinto ou sentirei será. Sei que errei em algumas coisas, as vezes até coisas bobas, não pensei nos prejuízos, mas depois que passa que percebemos que todo mundo que passa por nossas vidas, por mais podre que seja, deixa algo de especial em nós, e muitas vezes a conhecida e dolorosa “saudade”.
 Pois é, pra finalizar, apenas posso comentar que estou em uma nova fase da minha vida. Estou feliz como estou. Estou feliz de um modo particularmente meu. Quero que isso dure o máximo possível, mesmo sabendo que nada é “para sempre” ou que o “E viveram felizes para sempre...” dos contos de fada realmente não existe, então eu me contento em ficar com um básico “Que seja eterno enquanto dure”. 

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Beleza Sintética

 Para completar o post anterior sobre a "Real Beleza" quero deixar aqui uma Beleza nada real, foi uma edição gráfica que eu fiz no Gimp, transformando uma senhora e reduzindo algumas décadas da idade dela. Esse esquema pode ser assemelhado às operações plásticas que tantas mulheres — as que podem pagar — se submetem tanto para retardar os efeitos do tempo, quanto para corrigir imperfeições.

 Espero que gostem, eu achei incrível o resultado. 
 Qual a idade você daria para essa senhora antes e depois da cirurgia virtual??

A busca pela real beleza

 Temos que admitir que vivemos em um mundo onde a beleza é totalmente super valorizada. E ai, que se danem os feios? Ou melhor, quem definiu o que é ser belo? Desde a época da Grécia Antiga, Platão já fazia essa pergunta. E por que os padrões de beleza mudam tanto de época para época? O que era símbolo de beleza da geração passada pode ser abominada nas gerações de hoje. Tudo é uma questão de evolução e costumes das civilizações, e principalmente a influência da mídia, das musas do cinema, da TV e da moda. Uma pesquisa comprova que "mais da metade das mulheres no mundo todo gostaria de ter visto garotas e mulheres nas revistas que fossem mais parecidas com elas, quando eram mais jovens."


 A evolução da beleza é influenciada pelo contexto da sociedade em que vivemos, e isso está possível a mutações. 

 Já tivemos épocas que mulheres de peitos pequenos foram a sensação, mas hoje as siliconadas que o digam o contrário. Mulheres de corpo e silhuetas avantajadas também já estiveram entre as mais cotadas, dando lugar depois as magérrimas modelos de passarela onde apenas uma leve camada de carne cobre seus ossos e músculos. Se formos falar dos cabelos não paramos mais, já foram cacheados, altos, curtos, longos, alisados, franjados, presos, armados, desgrenhados, pintados, raspados. É a evolução que o diga, aposto que muitos não sabem que a bela Cleópatra rainha do Egito era na verdade um belo de um canhão para os tempos de hoje.

 A Dove lançou uma uma campanha intitulada Real Beleza em que "acredita que é possível mudar a maneira como as meninas e mulheres se sentem. Dois terços das mulheres no mundo, de quinze a sessenta anos, evitam atividades básicas da vida porque se sentem mal com sua aparência. Mais de 92% das garotas declaram que querem mudar pelo menos um aspecto da sua aparência. Está na hora de mudar essa percepção."


 O vídeo relata perfeitamente a realidade, onde a mídia mostra um tipo de beleza inalcansável, mas que na verdade se mostra irreal. 


 E o pior é saber que cada vez mais cedo as crianças vem sem preocupando com isso, como mostra também neste outro belo vídeo da campanha da Dove, e para quem gostou da música, é uma versão da música original True Colors da Cindy Lauper.

 A verdade é que mulheres bonitas vem de diferentes cores, formas e tamanhos, e que todas elas tem sua beleza especial.  Esse padrão de beleza estereotipada pela mídia é uma merda, e só as mulheres aumentando suas alto-estimas poderão dar um fim a essa beleza "Barbie".

 Beeijão para todas as lindas mulheres que são altas, baixas, morenas, loiras, ruivas, japonesas, negras, índias, gordinhas e magras.

domingo, 4 de janeiro de 2009

Só pensamos "naquilo"?

Outro dia me falaram que eu só penso “naquilo”... Ai eu parei, pensei, e fiquei pensando se eu realmente só pensava “naquilo”... Fui pro banheiro e fiquei pensando mesmo "naquilo", sai de lá e nem lembrava mais no que eu estava pensando. Depois de alguns minutos me lembrei, e voltei a pensar e voltei ao banheiro também. Tá, eu então cheguei a conclusão que... Não, eu não penso só naquilo (desisti das aspas), claro que não né, — principalmente porque aquilo é melhor fazer do que se pensar — devo pensar naquilo o mesmo tanto que pensa todo mundo, ou seria o mesmo que só os homens? As mulheres também tem fama de pensarem muito naquilo.

E por causa disso alguns homens chegam até a agir de uma forma errada com as garotas. "Alguns pensam em conquistar a menina e tals, mais com a única intenção daquilo mesmo, então depois que a menina cede, ele vai e joga ela pra escanteio ou se não deixa na reserva pra quando ele precisar ele ligar e fingir de fofo de novo. Quando ela não cede, se ele realmente gostar dela ele continua com ela mesmo assim, mais se não pula fora pra outra mais fácil xD" diz Larissa, de 16 anos.

Independente destes acidentes de percurso, a verdade é que relacionado ao sexo todos nós pensamos ou falamos ou fazemos — ou todas as alternativas anteriores — , mas a diferença é que nós homens, pensamos e falamos a qualquer hora, qualquer lugar, independente de quem possa ouvir… E já as mulheres — pelos menos a maioria — são mais discretas, cautelosas e quando falam, falam só pra quem elas querem, mas geralmente elas preferem ficar na delas, só pescando os nossos papos, putz, conheço várias assim, ficam lá dando uma de boba e fingindo que não estão entendendo... Sei... Pra cima de moi?

Independente disso, sempre haverá esse dilema, homens só pensam "naquilo" e mulheres além de pensar naquilo, pensam em dinheiro, roupas, sapatos, cabelo, viagens, jóias, cartão de crédito, dinheiro, etc... etc... haha adoooro. E fuiiiii!

 
BlogBlogs.Com.Br